Novas
Cidades 2021

ÍNTEGRA DAS LIVES

Políticas integradas e participação social são princípios para o planejamento urbano

A integração do planejamento urbano com a saúde visando a qualidade de vida das pessoas nas cidades deve partir do entendimento de que o meio ambiente e a saúde são indissociáveis e considerar a diversidade da população brasileira, bem como o modelo de desenvolvimento nacional que é extremamente excludente. Saiba mais.

Mudanças nas cidades passam pela humanização e democratização dos espaços

O papel dos arquitetos e urbanistas, habitação, sustentabilidade, mobilidade e a agenda ambiental para reestruturar as cidades no pós-pandemia foram temas da segunda “live” do ciclo Novas Cidades 2021, Clique aqui para saber mais.

“Live” propõe políticas redistributivas e inclusivas para as prefeituras

Políticas públicas integradoras que tornem as pessoas felizes e que possam reduzir as desigualdades; planejamento objetivo de mobilidade urbana e distribuição de renda a partir da geração de empregos de qualidade. Essas são as prioridades para os futuros prefeitos, apontadas pelos participantes da terceira “live”, Governança e Financiamento: Cidades não se fazem de improviso, dia 16, do ciclo Novas Cidades 2021. Saiba mais.

Patrimônio e paisagem locais são instrumentos essenciais para o desenvolvimento

A importância de integrar a paisagem aos programas de mobilidade urbana, de habitação nos centros das cidades a partir de políticas ambientais robustas e de preservação do patrimônio cultural local foi uma das sugestões apresentada na quarta “live” do ciclo Novas Cidades 2021, dia 21, sobre Paisagem e Patrimônio. Saiba mais.

A mobilidade ativa deve ser prioridade para a inclusão social nas cidades

A penúltima “live” do ciclo Novas Cidades 2021 discutiu e apontou sugestões para a melhoria do transporte público e a adoção de novos modais para possibilitar que todos tenham o direito ao deslocamento seguro. Saiba mais.

Ciclo Nossas Cidades 2021 reafirma a importância do planejamento urbano

Eixo comum de todas as “lives”: a importância do comprometimento dos gestores públicos com o planejamento urbano, “uma atividade técnica e política”, como ressaltou o presidente do CAU/BR, Luciano Guimarães. . “Técnica porque é preciso ter conhecimento para resolver as demandas necessárias ao bem-estar da sociedade. Política porque temos que atender às diversas comunidades entendendo suas necessidades por meio da participação social e inclusiva”, afirmou. Saiba mais.