O hotsite Mulheres na Arquitetura e nas Cidades foi desenvolvido como parte do compromisso do CAU com a promoção da Equidade de Gênero na Arquitetura e Urbanismo e para divulgar os resultados dos trabalhos da Comissão Temporária de Equidade de Gênero do CAU/BR e da Comissão Temporária de Política de Equidade de Gênero do CAU/BR, desenvolvidos em 2019 e 2020.

Este canal de comunicação e foi construído em rede, com o apoio dos CAU/UFs e de diversas entidades de arquitetura e urbanismo, e compõe as ações decorrentes da adesão do CAU/BR aos Princípios de Empoderamento Feminino (WEP, sigla em inglês) da ONU mulheres e do Pacto Mundial.

A atuação das mulheres nos ambientes doméstico e público – arquitetas ou não – é capaz de reinventar a cidade e o cotidiano ao seu redor. Incluir a perspectiva das mulheres no desenvolvimento das cidades brasileiras nos traz uma nova abordagem de participação e a possibilidade de romper esses limites que definem o acesso das mulheres à cidade, tornando-as mais inclusivas e segura para todos.

A Política do CAU para a Equidade de Gênero teve como principais subsídios os resultados do 1º Ciclo de Debates ‘Mulheres na Arquitetura – Cidades Inclusivas para Mulheres’ e do 1º Diagnóstico ‘Gênero na Arquitetura e Urbanismo’ (resultados de ambos disponíveis nesta plataforma) e compreende diretrizes a serem implementadas em várias esferas e escalas, organizadas em seis eixos:

  1. Equidade no COTIDIANO da Arquitetura e Urbanismo;
  2. Equidade na HISTÓRIA da Arquitetura e Urbanismo;
  3. Equidade na FORMAÇÃO em Arquitetura e Urbanismo;
  4. Equidade na PRÁTICA em Arquitetura e Urbanismo;
  5. Equidade na POLÍTICA da Arquitetura e Urbanismo;
  6. Equidade no CONSELHO de Arquitetura e Urbanismo.

O documento, aprovado pela Deliberação Plenária DPOBR nº 0107-01/2020, deverá ser continuamente atualizado e monitorado em rede. Caso deseje contribuir de alguma forma, mande a sua sugestão na aba ‘Acompanhe e Participe’.

Para saber mais sobre cada eixo e conhecer as propostas detalhadas, ACESSE A ÍNTEGRA DA POLÍTICA DO CAU PARA A EQUIDADE DE GÊNERO.

A partir da observância dessas diretrizes, o CAU pretende:

  • Atender as recomendações do documento ‘Policy Gender Equity in Architecture – Políticas para a Equidade de Gênero na Arquitetura’, da União Internacional dos Arquitetos (UIA);
  • Fazer cumprir a sua missão institucional de promover Arquitetura e Urbanismo para todas e todos, sem distinção de gênero;
  • Promover a profissão da(o) Arquiteta(o) e Urbanista como uma contribuição para o desenvolvimento da sociedade e para a promoção da justiça social, conforme previsto no item 4.1 do Código de Ética e Disciplina do CAU;
  • Em conformidade com a DPOBR Nº 0058-11/2016 e com o Memorando de Entendimento com a ONU HABITAT, contribuir para com a implementação da Nova Agenda Urbana, aprovada durante o Habitat III (Conferência das Nações Unidas sobre Habitação e Desenvolvimento Urbano Sustentável), que prevê a atenção às questões etárias e de gênero de maneira transversal em todos os seus compromissos;
  • Contribuir para com o alcance do 5º Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU: a igualdade de gênero.

Para conhecer as decisões do Plenário do CAU/BR que corroboraram para a construção da Política do CAU para a Equidade de Gênero, veja:

O Brasil possui atualmente 193.444 arquitetos e urbanistas ativos e registrados no CAU. A maioria, 64,10% são mulheres, o que corresponde a quase 124.000 arquitetas e urbanistas em todo o país. Esse número deve crescer nos próximos anos, considerando que nas faixas etárias mais jovens elas correspondem a 76%.

Infelizmente, a representatividade feminina em premiações, cargos de chefia, nas instâncias decisórias e entidades de representação profissional não acompanha esses números, sendo ainda muito inferior à proporção numérica de mulheres em atuação. É imprescindível dar crédito as mulheres arquitetas que trabalham ou trabalharam à sombra dos grandes homens da história da Arquitetura e do Urbanismo.

“As mulheres são os fantasmas da Arquitetura moderna, sempre presentes, cruciais, mas estranhamente invisíveis” (Beatriz Colomina)

Com intuito de dar maior visibilidade e destaque à produção feminina na Arquitetura e Urbanismo, o CAU/BR instituiu, por meio da Resolução nº 194, de 25 de setembro de 2020, o Dia Nacional da Mulher Arquiteta e Urbanista, a ser comemorado no dia 31 de julho.

Em uma mobilização nacional, em 2019, as assessorias de comunicação do CAU/BR e dos CAU/UF produziram uma série de matérias mostrando trajetórias inspiradoras de arquitetas e urbanistas que atuam em todo país. Em vários casos, a escolha das homenageadas se deu por votação online.

Os nomes e currículos das profissionais elencadas foram compilados nesta plataforma como um pontapé inicial para a catalogação do trabalho das mulheres arquitetas e urbanistas brasileiras. A cada revisão essa lista, certamente, crescerá. São elas:

Arquitetas e Urbanistas

Coletivos

Gostaria de indicar mais alguém ou alguma iniciativa para essa lista? Mande sua indicação, foto e breve descrição para equi[email protected] ou no campo ‘Acompanhe e Participe’ deste site.

O I Ciclo de Debates “Mulheres na Arquitetura – Cidades Inclusivas para as Mulheres”

O I Ciclo de Debates “Mulheres na Arquitetura – Cidades Inclusivas para as Mulheres” teve como objetivo central a promoção da igualdade de gênero dentro do âmbito da Arquitetura e do Urbanismo, trazendo a mulher arquiteta e urbanista para o centro dos debates.

As demandas das mulheres no planejamento urbano não implicam fazer uma cidade especializada unicamente para as mulheres, excluindo o lugar e as necessidades dos outros cidadãos, mas sim afirmar uma perspectiva que representa uma nova abordagem de inclusão, do olhar, da opinião, da percepção e da contribuição das mulheres na construção da cidade contemporânea, trazendo uma nova dimensão ao desenvolvimento da cidade e da sociedade. Não se trata também de afirmar estereótipos e minimizar a necessidade de uma responsabilidade compartilhada pelos serviços domésticos e os cuidados, mas de proporcionar melhores condições imediatas para que as mulheres façam ativamente parte dos espaços públicos.

Com encontros realizados pelos CAU de Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Sergipe, Bahia e Ceará, que reuniram arquitetas e urbanistas e estudantes, referências em suas áreas, foram compartilhadas experiências profissionais, produção científica, bem como soluções inovadoras para as cidades pensadas por elas. Outras
iniciativas semelhantes foram promovidas por outros CAU/UFs, mas os seus resultados não foram ainda sistematizados no relatório conclusivo devido a diversas dificuldades enfrentadas durante a pandemia.

Esses eventos contaram, ainda, com a participação e o envolvimento de mulheres parlamentares e representantes do movimento social, e foram um vetor no processo de expansão da participação feminina na Arquitetura e Urbanismo, tanto na formação como na produção das cidades enquanto espaços de acolhimento da mulher, dos excluídos, e não de repressão e violência. Tais premissas atendem à missão institucional do Conselho de levar Arquitetura e Urbanismo para todos.

ACESSE AQUI O RELATÓRIO DO I CICLO DE DEBATES!

03/07/2019 – Florianópolis/SC, seminário com o tema OS DESAFIOS PARA ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO PROFISSIONAL 

12/09/2019 – Florianópolis/SC, audiência pública com o tema CIDADES INCLUSIVAS PARA AS MULHERES 

28/11/2019 – Salvador/BA, seminário com o tema CIDADES INCLUSIVAS PARA AS MULHERES – O MERCADO DE TRABALHO

30/01/2020 – Porto Alegre/RS, seminário com o tema CIDADES INCLUSIVAS PARA AS MULHERES 

06/02/2020 – Aracaju/SE, audiência pública com o tema A MULHER E O DIREITO À CIDADE 

29/02/2020 – Fortaleza/CE, seminário com o tema MULHERES, ARQUITETURA E CIDADE 

09/03/2020 – Curitiba/PR, audiência pública com o tema MULHERES E CIDADES INCLUSIVAS 

09 e 10/03/2020 – São Paulo/SP, seminário internacional com o tema O PERFIL E A VALORIZAÇÃO DAS MULHERES NA ARQUITETURA E URBANISMO 

O II Ciclo de Debates “Mulheres na Arquitetura – Cidades Inclusivas para as Mulheres”

Como encaminhamento proposto na Política do CAU para a Equidade de Gênero, aprovada pela Deliberação Plenária DPOBR nº 0107-01/2020, em março de 2021 será lançado o II Ciclo de Debates ‘Mulheres na Arquitetura – Cidades Inclusivas para as Mulheres”. Esse calendário está sendo construído em conjunto aos CAU/UFs, e terá uma importante etapa realizada conjuntamente à Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados.

O calendário preliminar das etapas já programadas para 2021 é:

06/03 a 08/03, 17h às 20h – “Diversidade e Inclusão” – Youtube do CAU/SP

08/03, 18h – Comemoração do Dia Internacional da Mulher – Youtube do CAU/PR

08/03, 19h – Roda de conversa ‘Arretadas’ – Youtube do CAU/SE

08/03, 19h – “Mulheres na Arquitetura: Trajetórias e Desafios” – Youtube do CAU/ES

19/03, 15h às 16h30 – “Mulheres: da casa à cidade – Direitos e cidadania em tempos de pandemia” – Youtube do CAU/BR

31/03 (a confirmar) – etapa do CAU/RS

QUER PROMOVER UMA ETAPA DO CICLO DE DEBATES?
BAIXE AQUI O KIT GRÁFICO E O FORMULÁRIO PARA A ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO.

Sugestões

Participe enviando sua sugestão! 

Sugestões

VEJA OS NÚMEROS E PROPOSTAS

AÇÕES DO CAU PARA A EQUIDADE DE GÊNERO

SAIBA +

O FUTURO DA ARQUITETURA E URBANISMO É FEMININO

SAIBA +

O ESPAÇO DA MULHER NA ARQUITETURA E NAS CIDADES

SAIBA +

1º DIAGNÓSTICO 'GÊNERO NA ARQUITETURA E URBANISMO'

SAIBA +
Facebook
Twitter
YouTube
Instagram