O PROJETO

ATENÇÃO! O PRAZO DE INSCRIÇÕES FOI PRORROGADO ATÉ 17 DE AGOSTO DE 2022. VOCÊ GANHOU MAIS TEMPO! NÃO PERCA ESTA OPORTUNIDADE

Conforme dados do Sistema de Informação Geográfica do CAU (IGEO), dos 5.570 municípios brasileiros, somente 3.737 possuem arquitetos e urbanistas ativos. Há também uma grande discrepância na relação entre arquitetos e urbanistas e habitantes entre as Unidades da Federação. Há mais de 40 milhões de pessoas sem habitação adequada no país e a maioria se concentra nos estados com acesso restrito a serviços de arquitetura e urbanismo, conforme dados da Fundação Joao Pinheiro sobre déficit habitacional e inadequação de domicílios no Brasil (2016-2019), elaborados para o Ministério do Desenvolvimento Regional.

Para que o Conselho possa cumprir com a sua missão de “promover a arquitetura e urbanismo para todos”, é necessário fomentar a territorialização da arquitetura e urbanismo, levando os serviços profissionais a todos os municípios brasileiros. Para esse fim, o CAU tem trabalhado em diversas frentes.
A Comissão de Ensino e Formação estruturou, a partir de sua Deliberação no 004, de 5 de março de 2021, o Projeto Lelé. O projeto faz referência ao arquiteto e urbanista João Filgueiras Lima, considerando a sua trajetória profissional.
 
A Carta UNESCO – UIA para a Formação em Arquitetura determina:
 
5.2. Os titulares de um diploma ou análogo em Arquitetura devem satisfazer, para além dos 5 anos de estudo, uma formação pratica aceitável antes do pleno exercício da profissão de, pelo menos, 2 anos (ainda que 3 anos fosse desejável), admitindo-se alguma flexibilidade para equivalências e ressalvando que um destes anos poderá́ ter lugar antes da conclusão dos estudos universitários.
 
O Projeto Lelé tem consonância com os objetivos estratégicos “Fomentar o acesso da sociedade à Arquitetura e Urbanismo” e “Influenciar as diretrizes do ensino de Arquitetura e Urbanismo e sua formação continuada”, bem como com o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) no 4 (Educação de Qualidade).
 
 
Com o Projeto Lelé, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU Brasil) visa a integração e inserção dos estudantes concluintes do curso de arquitetura e urbanismo no contexto e processo de desenvolvimento das boas práticas profissionais de arquitetura e urbanismo nacional, proporcionando a transição plena de estudante para profissional capacitado para o exercício da arquitetura e urbanismo em consonância com as competências e a missão do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), e promovendo o acesso universal à arquitetura e urbanismo como garantia do bem-estar social.
 
Essa inserção se dá através da mobilidade de estudantes concluintes da graduação para o desenvolvimento de atividades em arquitetura e urbanismo em prefeitura sem acesso a arquitetos e urbanistas. O programa possui compatibilidade e equivalência com o Trabalho Final de Graduação, permitindo que o estudante participante conclua a sua graduação a partir do exercício de atividades práticas supervisionadas, durante a sua participação no “Projeto Lelé”.
 
Serão oferecidas bolsas mensais no valor de R$1.450,00 durante 10 meses para cada estudante. Há duas grandes escalas de atuação dos estudantes, são elas: a Escala do Edifício e a Escala Urbana.
 
  • Escala do Edifício: Desenvolvimento de atividades vinculadas a projetos edilícios, como escolas, unidades de saúde, creches, centros de atividades, entre outros;
  • Escala Urbana: Divido entre INFRAESTRUTURA e EQUIPAMENTOS. Infraestrutura, desenvolvimento de atividades vinculadas a planejamento urbano, desenho de vias, etc. Equipamentos, projetos vinculados a equipamentos urbanos, como praças, mobiliário urbano, etc.
 

O projeto possui uma estrutura tripartite entre CAU Brasil, Municípios e Instituições de Ensino Superior, sendo o CAU Brasil o idealizador e gestor do projeto.